sexta-feira, 6 de maio de 2011

Eu voltei!

Sim, voltei. Para vocês e para mim.

Andei meio desanimada, mas os poemas que fervilham na minha cabeça não me deixam dormir direito... e cansei de perder ideias sentada no ônibus, na carteira da faculdade, cozinhando, dançando.

Pois é, aprendi a dançar, por falar nisso.

Nesses, o quê?, dois meses de ausência e blogcídio, deixei de escrever, mas não deixei de pensar. Não deixei de sentir, nem de imaginar o que poderia acontecer se eu tivesse feito mais um poema, se eu tivesse escrito mais uma ideia...

Um escritor fica muito solitário sem suas ideias. A vida é tão cheia de palavras, palavrões, palavreados... Talvez seja isso o que dá um pouco de sentido.

Enfim, devia ter escrito um bilhete que fosse para me despedir. Não que eu me considere, assim, tão imprescindível. Mas quem é que não gosta de drama? Eu sou assim, e você também. Você se faz de durão, mas, no fundo, no fundo, quer é ver o happy ending clichê daquele filminho bem água-com-açúcar que você adora. Finge que não, mas adora.

Eu, por exemplo, tento me conter quando penso em quanto adoro você, meu bem. Não você, leitor. É de outro "você" que eu falo. Você não faz meu tipo, não. Ei, eu tô falando com você, leitor!

Enfim, voltei. Não por mim nem por ninguém. Estou me contradizendo, eu sei. Mas o texto é meu; é por isso que tenho um blog. Continuo não sabendo HTML, escrevendo uns textos bons, outros ruins, tocando violão quando dá e poetizando, eternamente, totalmente.

É tarde demais para parar.

2 comentários:

Aline Maira disse...

seus poemas e lirica sempre me inspira! que bom que vc voltou!

Laryssa disse...

Ah, mas que bom que você voltou! Aquele momento em que eu fui procurar pelo teu blog e não o achei, partiu meu coração. Mas, agora, ao vê-lo aqui novamente, encheu-me de felicidade.
É dessa contradição que gosto em você. Afinal, quem não é assim? Todos são, mas tentam esconder isso na hora de escrever e de se expor porque o mundo (e alguns leitores também) não estão acostumados a lidar com pessoas assim ou, simplesmente, não consegue entendê-las. Mas eu consigo.
Fez bem em refazer o seu blog, verá isso. Não pare de escrever e não se importe se as suas postagens não tiverem tantos comentários. Eu estarei aqui, sempre lendo-as.